Blogger Template by Blogcrowds.


Uma possível interpretação para o nome de Sabará, a antiga Vila Real de Nossa Senhora da Conceição do Sabará, é que o nome se derive do termo "curva do rio" acrescido originalmente de um "buçu" (ou bussu como se escrevia), que quer dizer "grande" na língua dos índios. Portanto, uma curva grande do rio. E esta curva seria o encontro do Rio das Velhas com o Rio Sabará. Esta tela que aí vemos reproduzida é obra do artista Johann Georg Grimm (1846-1887), e recebeu o título de "Vista Panorâmica de Sabará". Em alemão: Panoramablick of Sabará Studie für den Vorhang des Opernhauses von Sabará. Um estudo para o pano de boca da Casa de Ópera de Sabará. No livro Sabará 18, de Carlos Gentil Vieira, um personagem assustado diz que Mademoiselle Diane d'Anjour vai acabar querendo criar até uma Casa de Ópera na Vila Real. Neste caso, apenas imaginação do autor. Nem uma coisa nem outra são verdadeiras. Mas a Casa de Ópera realmente foi construída, lá esteve D. Pedro I, e lá Josélia e Sandra Teles interpretaram "Morte e Vida Severina", de João Cabral de Melo Neto, já nos anos 60. Sabará tem tradição e merece ser preservada como monumento histórico. Enterrem meu coração na curva do rio...




Veja aqui como comprar o livro Sabará 18, disponível em formato impresso ou eBook.












Receba as atualizações deste blog por email


Digite aqui seu email:


0 Comentários:

Fazer um Comentário



Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial