Blogger Template by Blogcrowds.

vececom GESTÃO


Quem seriam estes seres chamados de gerentes de projeto? No século passado, foram os condutores de grandes obras de engenharia, como Itaipu, especialistas em PERT/CPM e organizações matriciais. Ser mulher era condição, geralmente, negativa para exercer este papel. Na década de 80, gerentes de projeto foram designações temporárias, destinadas a resolver o problema de colocação de executivos não demissíveis. E agora?

Tom Peters, em seu famoso Liberation Management (publicado pela primeira vez em 1992), afirmou que o projeto é tudo, baseado na observação da empresa de consultoria McKinsey.

Harvey Wagner, um dos donos da empresa americana Teknekron (criada lá na década de 60, 1968 para ser exato, com vários professores de Berkeley), definiu o tipo de empresa que fundou, como sendo uma escola de empreendedores. Cada linha de negócio tinha um par de empreendedores, com sólida base tecnológica, um voltado para fora, tratando de vender, e outro voltado para dentro, tratando de projetos.

A organização por projetos é uma resposta bastante boa à alta instabilidade do ambiente atual. O Gerente de Projeto, numa comparação nada original, é como regente da orquestra. É o tipo de papel que pode ser muito bem definido dentro das organizações, e é possível estabelecer uma carreira com diversos níveis de experiência, habilidades e responsabilidades para ele.

Penso que a pandemia da Covid-19 tenha aberto um campo amplo para o gerenciamento de projetos. Na indústria farmacêutica, nos órgãos de governo federal e estadual, nas prefeituras. Mesmo que o nome adotado para o gestor não tenha sido este.

ASPECTOS DA LIDERANÇA

Um Gerente de Projetos trabalha, fundamentalmente, em equipe. Portanto, pessoas com poucas habilidades de relacionamento interpessoal não são bons candidatos a exercerem este papel. Muitos gerentes de projeto chegam a este cargo por se destacarem em suas especialidades, mas são escolhidos principalmente por se mostrarem bons articuladores e bons gerentes de pessoas. Achamos que temos, também, um problema cultural. Executivos não gostam de serem chamados gerentes de projeto, e outras pessoas encaram a atividade como uma designação altamente temporária. Poucas organizações criaram uma opção profissional de longo prazo na gerência de projetos, desestimulando, desta forma, o aparecimento de novos talentos.

Entretanto, continuam se multiplicando os projetos. Um aspecto que certamente inibe o surgimento de novas lideranças é a instabilidade do cargo. Muitas pessoas acreditam que o gerente de projeto corresponde a uma necessidade organizacional de se identificar um culpado. Não fosse assim, pensam eles, talvez as equipes fossem autônomas, executando as tarefas, e diretamente subordinadas a um diretor, por exemplo.

Achamos que cabe à alta gerência definir que importância devem ter os gerentes de projeto em suas organizações. Empresas de consultoria, de serviços e de engenharia, tipicamente investem muito em possíveis ocupantes deste cargo. Empresas comerciais, onde a ocorrência de projetos com duração definida são menos frequentes, utilizam-se de designações temporárias para resolver os problemas quando eles aparecem.

ASPECTOS DA CERTIFICAÇÃO

A gerência de projetos se caracteriza pela adoção de determinados princípios e metodologias. Além disso, a experiência profissional na condução de pessoas, a vivência de situações críticas, a capacidade de seguir planos de trabalho, cronogramas e lidar com alterações frequentes, distinguem os bons gerentes de projeto daqueles que são apenas iniciantes.

O processo de certificação ganhou corpo nos Estados Unidos, na Europa e mesmo no Brasil, não apenas no âmbito de grandes corporações, mas também a nível de associações profissionais e entidades de governo.

É mais ou menos como estabelecer critérios mínimos para determinados profissionais serem considerados na carreira, e terem um padrão de desempenho e qualidade comuns.

A certificação leva em conta a formação acadêmica, os cursos de especialização, as experiências comprovadas, os resultados atingidos em projetos anteriores, os depoimentos de pares, subordinados e superiores, e a aderência a métodos de trabalho reconhecidos. Com isso, um profissional de gerência de projetos se habilita a diversos níveis de complexidade de projetos, e a ter um trânsito livre dentro das organizações patrocinadoras. Dentro de algum tempo, gerentes de projeto não certificados passam a ser uma exceção e representar um verdadeiro risco para os projetos.

ASPECTOS PESSOAIS

Gerentes de Projeto apresentam algumas características pessoais comuns. São organizados, bons planejadores, sabem manter um ótimo relacionamento com clientes e fornecedores, são flexíveis (o tal jogo de cintura), sabem tomar decisões rápidas, têm empatia, sabem motivar, são bons negociadores, conseguem ver a luz no fim do túnel. Mas, principalmente, eles conseguem aprender com os próprios erros e com as experiências dos outros.

Os Gerentes de Projeto são profissionais distintos de engenheiros, analistas, advogados, administradores, embora todos estes possam ser bons gerentes de projeto. É um erro pensar-se que um especialista é, naturalmente, um bom candidato para esta função. Ele tem muito mais relação com gestão do que com especialidade em determinada área de conhecimento.

(Carlos G. Vieira, coautor do livro Gerente Animador)

Imagem de Malachi Witt por Pixabay 

Página inicial