Blogger Template by Blogcrowds.


Vececom viagens

O "Conheça São Paulo" foi dividido, arbitrariamente, em roteiros. Como a cidade é imensa, nós tentamos passar uma visão abrangente do espírito paulistano, ainda que seja em uns poucos pedaços. Vocês poderão notar que os roteiros refletem uma visão pessoal de São Paulo. Digamos que seria um São Paulo for Dummies. Existirão outras visões, certamente mais completas ou mais atuais. De qualquer forma, ninguém pode pretender conhecer a maior cidade brasileira em uma única vez, talvez em um fim de semana. Por isso os roteiros podem ser combinados entre si para melhor atender à sua disponibilidade de tempo. 

ROTEIRO A - Centro, Liberdade, Higienópolis, Pacaembu

O centro de São Paulo tem alguns pontos de extrema importância de serem vistos. Sempre de dia. O melhor é você ir de táxi, pedindo para parar em determinados pontos. O seu primeiro destino será o "Mercadão", ou Mercado Central de São Paulo, que aconselhamos seja visitado por dentro. A sua grande atração está na forma como o espaço foi ocupado e na variedade das mercadorias expostas. Lá você encontrará de tudo um pouco: leitão, frutas, fumo de rolo, bacalhau da Noruega, produtos árabes, queijo de Minas, especiarias, temperos , e uma enormidade de coisas. O ideal é conhecê-lo nas manhãs de sábado. Antes de chegar ao Mercadão você conhecerá o inconfundível prédio do Palácio das Indústrias, de 1924, antiga sede da prefeitura de São Paulo, em estilo mourisco.

Dali, você poderá passar pela Av. São João, Av. Ipiranga, Consolação. Três importantes avenidas (embora a Consolação seja rua) do Centro. Dando uma volta a partir da Consolação, você poderá conhecer o Teatro Municipal de São Paulo, um dos ícones da cidade. Você atravessará (melhor fazer este trecho a pé) o Viaduto do Chá (sobre o vale do Anhangabaú), e conhecerá a Praça da Sé (catedral Metropolitana), o Edifício Matarazzo (atual sede da prefeitura da cidade) e a Basílica de São Bento. Entre um e outro, você poderá conhecer as Arcadas de São Francisco, histórica sede da Faculdade de Direito, e o Pátio do Colégio, onde começou oficialmente a cidade de São Paulo.

Em seguida, você deverá ir (de táxi) até o bairro da Liberdade, que é bem próximo deste centro, digamos, histórico. Este bairro tem forte influência oriental, o que você poderá facilmente notar pela decoração das ruas e pelos letreiros das lojas, muitos escritos em outras línguas. Sugerimos que você caminhe um pouco pela Liberdade, e sinta a fusão de culturas que está nas ruas.

Da Liberdade você irá para a praça Villaboim, em Higienópolis, uma visita obrigatória. Esta praça tem um espírito novaiorquino, com diversas opções de restaurantes e bares. Sugerimos uma passagem pela tradicional padaria Barcelona. A praça Villaboim, além de ser um ponto de encontro de intelectuais e jornalistas, é também um centro universitário, porque ali perto está a FAAP. Um dos muitos restaurantes da praça poderá servir para restaurar as energias. Se ainda não estiver com fome e quiser experimentar um dos endereços mais deliciosos da cidade, sem ser caro, ande um pouco e vá até a cantina Jardim di Napoli, na Dr. Martínico Prado, e experimente o polpettone  (recomendação do Rogério Martinez).

Ao sair da Praça (ou da Cantina) é possível ir caminhando a pé até o bonito Shopping Higienópolis, na Av. Higienópolis para algumas compras, ou novamente de táxi, dar uma volta pelo bairro, passando pela avenida Angélica, ou indo pela rua Maranhão, descendo na Av. Pacaembu e subindo em direção à Av. Doutor Arnaldo, passando pelo estádio do Pacaembu, e as mansões de um dos bairros mais tradicionais de São Paulo, que conserva até hoje a sua elegância.

ROTEIRO B - Avenida Paulista, Bixiga e Jardins

A Avenida Paulista, que você atinge logo depois de passar pelo final da av. Doutor Arnaldo, resume o espírito de São Paulo. Situada no alto do "espigão", como se diz, concentra prédios de empresas e quase todo o mercado financeiro paulista (ainda dividido entre a Paulista e o Centro). Ali você encontra a sede da FIESP, a poderosa federação das indústrias, o Museu de Arte Moderna de São Paulo (MASP), o Parque Trianon e algumas raridades remanescentes do período áureo das mansões da Paulista, como é o caso da Casa das Rosas. Cruzam a Paulista algumas das mais tradicionais ruas de São Paulo, como a Brigadeiro Luís Antônio, Alameda Joaquim Eugênio de Lima, Pamplona, Augusta, Bela Cintra e Haddock Lobo. No final da Paulista, já cruzando por cima da Av. 23 de Maio você poderá apreciar a Catedral Ortodoxa de São Paulo, com sua cúpula inconfundível.

Ao retornar, entre na rua do Shopping Paulista e vá em frente. Você chegou na Treze de Maio, a rua do Bixiga, que, na realidade, começa mesmo depois da Brigadeiro. O Bixiga é nacionalmente conhecido como o bairro das cantinas e da colonização italiana. Vale a pena caminhar pelas ruas transversais e sentir o clima do bairro, suas padarias fantásticas, suas casas de massa, a Igreja de Nossa Senhora Achiropita, onde acontece anualmente uma movimentada festa de rua.

Retornando pela Paulista, você poderá passar para o bairro dos Jardins (descendo uma das ruas do lado esquerdo). Antes, porém, você deve visitar o Conjunto Nacional (Av. Paulista 2073) e a famosa Livrara Cultura. Os Jardins representam para São Paulo, talvez o que Ipanema represente para o Rio. Costuma-se chamar de Jardins o quadrilátero formado pela Av. Paulista, Eugênio de Lima, Estados Unidos e Consolação. Recomendamos um passeio a pé pela rua Oscar Freire e suas imediações. É uma região elegante, com excelente comércio e variadas opções de restaurantes. Outra opção de comida que recomendamos é o Arábia, na Haddock Lobo, que como o nome indica serve pratos árabes, sem igual na cidade. Você tem opções de churrasco, como a tradicionalíssima Rodeio, ou comida sofisticada como é o caso do Figueira Rubayat ou do Gero, este um dos melhores restaurantes de São Paulo. Um restaurante que gostamos muito, pelo ambiente calmo e requintado, é o Santo Colomba, na Alameda Lorena 1165. O bar do restaurante é o mesmo que foi da antiga sede (da cidade) do Jockey Club Brasileiro, do Rio de Janeiro. O bar veio todo da Inglaterra.

A noite nos Jardins costuma ser agitada, com diversos points, que disputam com outros locais do Itaim e de Pinheiros a melhor frequência da noite paulistana. Sempre tem alguma coisa acontecendo. Um detalhe que você poderá notar em São Paulo é que nunca você estará sozinho nos Jardins. Sempre há muito movimento, muita gente nas ruas e nos restaurantes e bares. Se você estiver de carro, existem vários estacionamentos pagos, o que torna relativamente fácil guardar o próprio, além dos manobristas existentes nos melhores restaurantes.

ROTEIRO C - Jardim América, Jardim Europa, Itaim-Bibi

A nossa sugestão é que você, partindo da rua Estados Unidos, seguindo a continuação da rua Augusta (que então muda de nome, passando a chamar-se Colômbia e, depois, Europa) vá em direção à Avenida Cidade Jardim e veja um dos mais requintados bairros de São Paulo. Logo de início você passará pelo Clube Paulistano e poderá entrar à direita ou esquerda e estacionar seu carro ou descer do táxi. Experimente andar pelas alamedas ajardinadas e admire as extremamente bem cuidadas mansões. Conheça o exclusivo clube Harmonia. Na esquina da Av. Europa com rua Groenlândia pare na Banca Europa e correrá o risco de encontrar um colunável calmamente comprando suas revistas.

Pelo lado esquerdo você poderá facilmente chegar à Alameda Gabriel Monteiro da Silva (permitam-me dizer que ele nasceu em Alfenas-MG), um verdadeiro shopping a céu aberto de decoração. Na esquina de Groenlândia com Eugênio Leite (perto da Groenlândia) você encontra a antiga Casa Europa, um agradável bistrô com mesas ao ar livre e uma excelente pedida de carpaccio com champignon. Se você for caminhando pela Gabriel em direção oposta à Av. Brasil, você chegará em uma das mais importantes avenidas desta região, a Avenida Faria Lima. Hoje ela concentra diversos edifícios comerciais, o mais antigo (e ainda melhor) Shopping Center, o Iguatemi, e na sua parte nova o acesso à Juscelino Kubitschek e suas diversas opções de restaurantes e choperias.

A região do Itaim-Bibi tem este nome em homenagem a Leopoldo Couto Magalhães, que também emprestou seu nome a uma das ruas do bairro. No Itaim você encontra excelentes lojas, restaurantes sofisticados e casas de muita badalação. É também uma região de clubes, o Pinheiros e a Hebraica. Uma das boas recomendações do bairro, para jantar ou bebericar, é o Bar des Arts, que fica no início da Horácio Lafer. Uma opção sofisticada seria o Le Coq Hardy, na Jerônimo da Veiga, e uma opção tradicional seria o Baby Beef Rubayat, na própria Faria Lima. Para uma carta de vinhos bem cuidada, sua opção poderá ser o Cantaloup. Agora, se você quiser relaxar, depois desta caminhada toda proposta, a recomendação imperdível para almoçar é o Bolinha, na Av. Cidade Jardim 53. É um restaurante especializado em feijoada, servindo todos os dias da semana. Um local descontraído, sempre cheio e alegre. Quer apenas tomar um café em ambiente aconchegante? Recomendo o Octávio Café, o preferido de meu amigo Alexandrino. Na Av. Faria Lima 2996.

Depois de tudo isso, duas opções culturais: o Museu da Casa Brasileira, localizado numa impressionante mansão da Faria Lima quase esquina da Cidade Jardim, e a Livraria Corrêa do Lago, na João Cachoeira, talvez a melhor do Brasil em livros raros. E uma opção de bom gosto: dar uma olhada nos vinhos no Empório Santa Maria, ali na Av. Cidade Jardim, logo depois da Rua Dr. Mário Ferraz.

ROTEIRO D - Pinheiros e Vila Madalena

A melhor forma de se chegar ao bairro de Pinheiros é pela própria Faria Lima, no sentido contrário à Juscelino, ou pela Av. Brasil e Henrique Schaumann. Pinheiros e Vila Madalena são bairros jovens, descontraídos, quase pequenas cidades dentro da cidade enorme. No Rio, seria algo como um misto de Leblon com Vila Isabel. Existem algumas ruas muito marcantes. Uma delas é a própria rua dos Pinheiros, outra é a Cardeal Arcoverde, outra a Teodoro Sampaio.

Para além de Pinheiros fica outra freguesia, o Alto Pinheiros, cujo ponto cardeal é a Praça Panamericana. Pinheiros e Vila Madalena definem um território de artistas, jornalistas, intelectuais e gente jovem. A principal instituição é o barzinho. Existem muitos, para todo gosto, e que ficam repletos até de manhã. Se você quiser encontrar gente bonita, muita música e ambientes sugestivos, é lá mesmo. Vocês sabem que este negócio de bar é muito pessoal. Sugerimos o  Astor (Rua Delfina), Salve Jorge (Rua Aspicuelta), e o Pirajá, na Av. Faria Lima 64. Cada um com um estilo e um público. Mas esta região é também um reduto cultural, com várias oficinas de arte, artesanatos e galerias. Recomendamos dar uma olhada em A Estufa, na rua Wisard 53, no Gabinete de Arte Raquel Arnaud, na Rua Fidalga, e na Fortes D'Aloia & Gabriel, na Fradique Coutinho.

E como estamos em um blog de livros e leitores, não deixe de visitar a Livraria da Vila (Rua Fradique Coutinho 915), que completou em 2017 o seu trigésimo segundo aniversário.

ROTEIRO E - Ibirapuera

Os nossos roteiros podem ser incompletos, mas não poderiam deixar de conter uma referência ao Parque do Ibirapuera, onde você poderá ir bem cedo, para uma caminhada, antes de começar os outro roteiros e a gastronomia. O parque é bastante grande, com espaços para jogos, corridas, caminhadas, bicicleta (tem para alugar), piqueniques, patins, teatro, e ainda é a sede da Bienal. Nossa sugestão é que você vá de carro e estacione dentro do parque, entrando pelo acesso da Av. Álvares Cabral. Recomendamos que você visite, se possível, o pavilhão do Japão, que fica perto dos estacionamentos. Evite ir ao parque aos domingos. Uma verdadeira multidão invade todos os espaços disponíveis.Saindo do parque, pelo lado da República do Líbano, conheça Vila Nova Conceição, um bairro novo e de excelentes moradias. Na Rua Lourenço de Almeida você pode, inclusive, tomar um reforçado café da manhã ao ar livre no Bread & Co.

Veja também outros roteiros que incluímos em nosso blog

Página inicial