Blogger Template by Blogcrowds.

A primeira edição desse livro data de 1946. Com prefácio de Monteiro Lobato. A autora, dona Maria Paes de Barros, fala de uma São Paulo nada parecida com a megalópole de hoje. Uma urbe com cerca de 20.000 habitantes. Monteiro Lobato, na Breve Explicação que antecede o texto, nos diz que o livro foi escrito por uma alta dama paulista de noventa e quatro anos de idade. Uau. Para muitos de nós, essa seria a idade do esquecimento. Como minha prima Mary, que aos poucos vai chegando lá, ela tinha uma mente privilegiada. Retratou uma época, ainda no Império e início da República, com os barões do café e a destinação de São Paulo como locomotiva do Brasil. Nomes de logradouros públicos na cidade de São Paulo fazem parte dessa história, como a Avenida Paes de Barros, Brigadeiro Luís Antônio de Souza Queiroz, Comendador Luís Antônio Souza Barros e dona Veridiana da Silva Prado.

Gostei, particularmente, da descrição que ela faz da viagem anual da família para as fazendas na região de Campinas e ao longo, hoje, da Via Anhanguera. O livro é amplamente ilustrado.
( No Tempo de Dantes, Maria Paes de Barros, Editora Paz e Terra, 1998)

31 de julho de 2020, em homenagem ao menino de Dores do Indaiá, Inácio de Loiola, que faz aniversário hoje.

5 Comentários:

  1. Unknown said...
    Foram os bandeirantes paulistas que desbravaram as serras e as matas mineiras, iniciando a abertura de vindo da Região Oeste para o Quadrilátero Ferrífero, onde encontraram área de mineração com esmeraldas, ouro e depois diamante. Um bom enredo, inclusive com a Guerra dos Emboabas contra os baianos / portugueses
    Augusto Vieira said...
    Os povoados foram sendo instalados próximos às áreas de mineração. A revolta dos inconfidentes mineiros foi o marco contra a exploração portuguesa (o odiado "quinto" da extração de ouro), que não teve a quantidade reduzida mesmo com a redução da produção da mina.
    Augusto Vieira said...
    Os jesuítas criaram missões com os índios no Paraná (depois no Rio Grande do Sul - vide o filme "A missão" - com Robert de Niro), sendo combatidos pelos bandeirantes paulistas
    Augusto Vieira said...
    Após 1690 foi descoberto ouro nas Serras Gerais, no Sertão de Cuieté (atual Caeté), surgindo a capitania de Minas Gerais, com os baneirantes Fernão Dias Paes, Antônio Rodrigues arzão, Pascoal Moreira Cabral e BartolomeuBueno da Silva.
    Vececom said...
    Obrigado pelos comentários. Continue suas leituras no nosso blog.

Fazer um Comentário



Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial